Arquicast 054 – Arquitetura Escolar

Neste episódio, Adilson (@adilsonlamaral), Aline (@lilocacruz) e Rapha (@_rapha) conversam com Julia Hallack (facebook) sobre como a ideia de ensinar surgiu e hoje é algo inerente à nossa cultura ocidental. Além disso, falamos sobre as metodologias pedagógicas e sua influência na arquitetura, os projetos de cunho estadual e federal para edifícios escolares emblemáticos e como papel do espaço escolar pode ir além da ideia do pátio e sala de aula.


Comentados no episódio:

  • Livro: “Arquitetura Escolar – O Projeto do Ambiente de Ensino” | Americanas.com
  • Série “Educação.doc” da Buriti Filmes | YouTube
  • Filme “Sociedade dos Poetas Mortos” de Peter Weir | Trailer YouTube
  • Filme “Tarja Branca” de Cacau Rhoden | Trailer YouTube
  • Livro “Lições de Arquitetura” de Herman Hertzberger | Extra
  • Documentário “UnfinishedSpaces” | Trailer YouTube | iTunes

Comentários, críticas, sugestões ou só um alô mamãe para contato@arquicast.com.br


Assine o feed: iTunes | Android | Feed

arquicast Written by:

2 Comments

  1. Jasmine Luiza
    setembro 14, 2018
    Reply

    Olá pessoal. Sou arquiteta, pela primeira vez que ouvi o podcast e logo de cara esse tema já é apaixonante. Eu pesquiso sobre arquitetura escolar e amo ouvi, falar , ler e ver sobre o tema. Comecei minha pesquisa ainda na graduação durante o tfg e no projeto de uma escola para educação infantil, o conceito foi justamente a escola como “casa”, como dito no episódio.
    Bom, ainda durante a pesquisa apliquei uma experiência nas escolas do bairro onde seria implantado, através do desenho pedi para as crianças desenharem como seria a escola dos sonhos. A casa era constante no desenho, a partir de então comecei a pesquisar a relação da casa com a escola e isso se tornou o conceito principal do projeto. A Casa e o Quintal. A Casa sendo as salas de aula e o Quintal o grande pátio onde a criança aprende de forma lúdica atrávez de brincadeiras, contos, atividades físicas. Também trabalhei muito o conceito de relação com a natureza, elementos arquitetônicos sustentável a mostra para que a criança entenda seu funcionamento e a relação da comunidade onde a escola seria implantada.
    Desde então sigo pesquisando sobre arquitetura escolar, tenho alguns trabalhos sobre o tema.
    Adorei o episódio, sou uma grande fã da Doris Kowaltowski kkkkkk parabéns a todos.

  2. Boa noite, pessoal!
    Excelente o Arquicast 054.
    Sou apaixonado pela arquitetura de escolas desde a época de estagiário (e lá se vão uns 26-27 anos…) pois trabalhava com um arquiteto aqui em BH que fazia muitos projetos nessa área, particularmente escolas de ensino superior.
    De lá pra cá sempre apareceram projetos de escola em meu caminho.
    Pois bem, muitos anos depois, de 2007 a 2009 trabalhei no Escritório Modelo da faculdade em que me formei (Izabela Hendrix) e tive como chefe um reitor que possuia uma visão bastante progressista.
    Uma de suas primeiras medidas quando assumiu a direção da escola foi ordenar a retirada de todas as grades que cercavam a instituição. Ele dizia que a escola deveria ser aberta à comunidade e, como estava localizada em uma área nobre próxima ao Palácio do Governo e à Praça da Liberdade, não fazia sentido deixá-la cercada. As grades foram retiradas e reconstruídos os muros nos moldes de quando a escola foi inaugurada, em fins dos anos 30.
    Outra medida foi deixar a biblioteca aberta 24 horas, não apenas para a comunidade acadêmica como para qualquer cidadão. Foi bastante polêmico na época por conta da dificuldade em se manter um staff na madrugada, com porteiros dormindo em serviço e pessoas estranhas dentro do campus, apesar das idas constantes do reitor à escola naquele horário para verificar o andamento das coisas.
    Como o Izabela Hendrix funcionava como faculdade e colégio ao mesmo tempo, nosso reitor era favorável ao convívio de toda a comunidade num mesmo espaço, usufruindo da mesma infra-estrutura.. Ao mesmo tempo em que circulavam crianças de 3-4 anos em fila indiana pelos pátios e jardins internos, alunos mais velhos travavam acirradas disputas de bola nas quadras, alunos da faculdade faziam aulas práticas ao ar livre, etc. Isso também foi alvo de polêmica geral e de desafio para nós, da equipe do escritório, principalmente para lidarmos com a diferença de escala dos usuários, na montagem e distribuição de turmas, na concepção de instalações para uso universal.
    Foi uma experiência enriquecedora,
    Um grande abraço a todos vocês.
    Vida longa e próspera ao Arquicast.
    P.S.: Espero ansioso o Arquicast sobre o Frank Lloyd Wright.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *