Arquicast 085 – Entrevista: Terra e Tuma

    Siga o Arquicast:

    Participam: Adilson Amaral (@adilsonamaral), Aline Cruz (@alinecruzarquicast) e Danilo (site Terra e Tuma)

    O Arquicast Entrevista da semana traz um escritório paulista, com 4 sócios que entendem o valor e a importância de um projeto de arquitetura para o cliente. Com experiências múltiplas em tipologia e escala de projeto, buscam pesquisar e desenvolver novas formas de fazer arquitetura e o resultado é um trabalho contemporâneo. Seus projetos já foram exibidos em Bienais como as de Veneza, Rotterdam e Quito e foram vencedores de diversos prêmios nacionais e internacionais. Um dos projetos mais emblemáticos da história do escritório foi uma casa feita para uma cliente muito especial: a Dona Dalva, que juntou o dinheiro de anos de trabalho para construir sua casa na Vila Matilde. Quem conversou com a gente foi o Danilo Terra, do Terra e Tuma Arquitetos Associados!

    Danilo compartilha com a gente um pouco da rotina do escritório que divide com outros três sócios: Fernanda Sakano, Pedro Tuma e Juliana Terra. Com treze anos de atuação no mercado, o atual formato mais enxuto da equipe nem sempre foi o mesmo. Como é comum aos escritórios com muitos anos de experiência, a equipe de arquitetos e estagiários é variável e a estrutura de produção de projetos já foi maior, dando conta de um número maior de clientes ao mesmo tempo. Experiência que, entretanto, ajudou os quatro sócios a reavaliar a dinâmica de trabalho que estavam construindo e, consequentemente, o tamanho da empresa.

    Hoje a empresa conta apenas com os sócios na produção de todas as etapas de projeto, além das demandas administrativas típicas do empreendimento. Essa formatação permitiu aos arquitetos retomar algumas práticas que, numa estrutura maior, acabavam delegadas ao restante da equipe, como por exemplo a proximidade com o desenho e detalhamento, assim como maior tempo dedicado ao canteiro de obra a ao bom relacionamento com as equipes parceiras da execução.

    O tamanho menor significou ainda maior flexibilidade para adaptação às demandas dos clientes, uma vez que reduziram-se as distâncias entre a concepção, a produção e o acompanhamento dos projetos, facilitando a comunicação e estabelecendo laços mais fortes. O que, para Danilo, traz maior satisfação não só para quem contrata, mas para os próprios arquitetos, mais atentos e sensíveis a todo o processo.

    Com reconhecimento internacional no âmbito dos projetos residenciais, o escritório se destaca pela forma investigativa de lidar com o programa. Nesse sentido, parte do sucesso que seus projetos têm se deve à característica de compreender o habitar não como uma atividade isolada e específica, mas como parte de uma rede de atividades sociais as quais ajuda a estabelecer. É notória a preocupação com o entorno em seus projetos e a busca por conexões que compartilhem com o ambiente urbano o conjunto de qualidades que se pretende para a edificação em si. 

    Link para matéria Archdaily


     




    Comentários, críticas, sugestões ou só um alô mamãe para contato@arquicast.com


    Assine o feed: iTunes | Android | Feed


    Siga nosso canal no YouTube


    Deixe um comentário

    Nesse primeiro episódio do 2024 propusemos discutir discutir a relação! Brincadeiras à parte, hoje queremos conversar sobre como é a relação dos arquitetos com seus…

    No último episódio de 2024, o Arquicast se aventurou em uma intrigante jornada de especulação sobre o futuro da arquitetura. Inspirados por um provocante artigo…

    Hoje voltamos em um assunto que foi pauta recente por aqui. Retomamos o tema do episódio 214, sobre ambientes de trabalho em arquitetura, já que…