Arquicast 228 – Os desafios da industrialização dos edifícios residenciais

Siga o Arquicast:

A construção civil, apesar das dificuldades, vem buscando inovações para ajudar na eficiência da obra em todos os sentidos. E uma delas é o desafio da industrialização, que traz uma série de vantagens. Os novos lançamentos imobiliários residenciais tentam atender uma clientela cada vez mais exigente e trazer inovações que o mercado oferece. Mas como fazer isso num ambiente tão desafiante como a construção civil brasileira? É sobre esses e outros assuntos que vamos conversar em mais um episódio em parceria com a ASBEA de São Paulo!

Participantes

Adilson Amaral

Adilson Amaral

Co-fundador do ARQUICAST, o Podcast de Arquitetura e Urbanismo. Arquiteto e mestre em Urbanismo pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Atua como professor do Centro Universitário UniAcademia e como arquiteto autônomo na cidade de Juiz de Fora, Minas Gerais. Com experiência nas áreas de projeto de arquitetura e ArchViz (Visualização Arquitetônica), viu no podcast uma ferramenta poderosa na discussão e compartilhamento de conhecimento na área, para alcançar profissionais e curiosos sobre arquitetura e espaço urbano.

Rapha Rodrigues

Rapha Rodrigues

Co-fundador do ARQUICAST, o Podcast de Arquitetura e Urbanismo. Pai do Miguel e do Joaquim, formado em Arquitetura, Mestre em Urbanismo pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e atual Subsecretário de Planejamento do Município de Juiz de Fora (MG), é também professor universitário há mais de 15 anos. Possui experiência nas áreas de projetos de arquitetura e design, execução e gerenciamento de obras, planejamento e projeto do espaço urbano. Idealizou o Arquicast para compartilhar experiências, escutar novas histórias e abraçar o universo das cidades e das construções de um jeito leve e divertido.

Henrique Mélega

Henrique Mélega

Arquiteto e urbanista formado pela FAAP, com especialização em Conservação de Energia e Conforto Ambiental pela CECACE. Atuou como Presidente da Asbea de 2019 a 2021 e como membro da Comissão de Edificações e Uso do Solo – CEUSO e do Conselho Gestor da SMUL – Secretaria Municipal de Urbanismo e Licenciamento da Prefeitura de São Paulo (2021) e sócio da IDE Studio Arquitetura.

João Carlos Casari

João Carlos Casari

Arquiteto urbanista formado pela Mackenzie, pós-graduado em marketing pela FGV, trabalhou em diversas empresas da indústria de materiais de construção, com mais de 25 anos de experiência e hoje trabalha na área de desenvolvimento e estratégia de novos negócios na Saint-Gobain Brasil.

2 comentários em “Arquicast 228 – Os desafios da industrialização dos edifícios residenciais”

  1. Oi, gente, tudo bem?

    Acho importante ouvir representantes do mercado — afinal, precisamos sempre saber o que pensam aqueles que nos exploram — mas num programa como esse fez MUITA falta a presença de docentes e pesquisadores especializados no tema. Ouvir representantes do mercado nos revela aquilo que o mercado quer que a gente ouça, não necessariamente o que efetivamente constitui a raiz do problema em questão.

    Não quero com isso criticar a iniciativa (reitero que é importante ter acesso a esse tipo de discurso ideológico). Mas a ausência de reflexão crítica evidencia os limites da discussão definida apenas pelas vozes do mercado. Pra começar, há um enorme acúmulo de pesquisas e reflexões na academia a respeito do que seja industrialização e das características da indústria da construção no Brasil, suas especificidades e o motivo pelos quais é problemático importar esquemas interpretativos do setor como fazem às vezes esses representantes. Pra começar, os próprios conceitos de “artesanato”, “manufatura” e “indústria” são mobilizados de forma bastante precária pelos convidados. Há toda uma tradição crítica marxista na academia que aponta para o setor brasileiro da construção nem como artesanato nem como indústria, mas como uma forma específica de manufatura que extrai uma quantidade tão absurda de mais-valia que serve de reservatório para setores mais avançados. Essa clássica formulação ferriana já foi bastante questionada em anos recentes e por outros pesquisadores, mas num programa como esse valia talvez até começar por ela e apontar o que é manufatura heterogênea e homogênea (e não necessariamente me alinho a essa tradição, mas é importante registrar que ela existe e é central em vários dos estudos sobre industrialização). Do contrário, ficamos na velha lamentação de que no Brasil ainda “se empilham blocos a 100 metros de altura” sem compreender de fato as características dos processos de exploração capitalista no canteiro de obras que se beneficiam dessa forma de extração de mais-valia absoluta.

    Falo tudo isso inclusive sem sequer estudar o assunto, mas reconhecendo minha ignorância e reconhecendo que existem pesquisadores com reflexões bastante sofisticadas que estão muito à frente do que aponta essa discussão rasa do mercado.

    Responder
  2. (ah, sem falar em uma série de outras especificidades próprias do universo residencial: afinal, não adianta nada falar em industrializar se o nó da terra e da desigualdade de acesso à terra urbana continua a não ser enfrentado. Os atos falhos na fala dos agentes do mercado, inclusive, são ótimas para perceber esses problemas, como quando ele aponta surpreso o fato de que a “lentidão” de processos tradicionais contribuir para financiamentos habitacionais mais atrativos para os clientes de classe média — afinal, fosse outro o modelo de provisão habitacional, esse problema dos juros não existiria, como na produção de habitação voltada à locação social ou a outras formas de empreendimento público.)

    Responder

Deixe um comentário

Esse é o Arquicast 230, e vamos discutir uma matéria publicada na revista Dezeen, especificamente uma entrevista com o crítico de arquitetura Paul Goldberger. Nela,…

O Arquicast dessa semana aborda um tema crucial e urgente: as mudanças climáticas e seus impactos nas cidades do Rio Grande do Sul. O episódio…

Esse é o Arquicast 227, e o episódio de hoje é mais um da série de mobilidade, esse tema tão extenso! E hoje vamos falar…